DEPOIMENTOS

Conheci a terapia craniossacral logo após ter entrado na menopausa. Estava numa fase difícil, me sentia muito mal, não dormia direito, sentia calores e um pouco depressiva. Na primeira sessão já senti diferença de humor! Entrei no consultório "pesada" e saí "leve". Sensação física e espiritual. Comecei a dormir melhor e os "calores" foram pouco a pouco diminuindo. Após 2 meses de terapia, no início 2 vezes por semana e depois uma vez por semana, minha auto-estima havia melhorado. Engraçado, saia da sessão com vontade de comprar roupas, olhar vitrines, me arrumar. Comecei a prestar mais atenção em mim e olhar o mundo diferente. Desde então, tenho me cuidado melhor, emagreci, cuido da alimentação e presto mais atenção aos meus pensamentos e sentimentos. Tive também muito progresso em meu trabalho, é como se uma força interior estivesse adormecida e com a terapia craniossacral esta força "acordou". É difícil de explicar com palavras, mas a terapia craniossacral faz a gente se ver por dentro! Posso dizer que existe a Sylvia antes e depois da craniossacral e se mais pessoas tivessem acesso a essa terapia, o mundo estaria bem melhor, com certeza.

Sylvia, 54 anos, atriz, professora de inglês, tradutora -interprete, São Paulo.

5.0
2015-12-03T15:17:46+00:00

Sylvia, 54 anos, atriz, professora de inglês, tradutora -interprete, São Paulo.

Conheci a terapia craniossacral logo após ter entrado na menopausa. Estava numa fase difícil, me sentia muito mal, não dormia direito, sentia calores e um pouco depressiva. Na primeira sessão … Continue lendo
Meu primeiro contato com a craniossacral foi nos Estados Unidos em 2001. Fiquei muito impressionada com os efeitos em mim. Resolvi que quando pudesse faria o curso. Minha 2ª experiência foi no curso que fiz 10 anos depois, logo que soube que já havia no Brasil. Fui atendida várias vezes por colegas em fase de aprendizagem. Muita coisa acontecia comigo nos atendimentos, além de me perceber mais relaxada e bem disposta após as sessões. Fiquei ainda mais apaixonada pela técnica. Mas um certo atendimento me marcou porque me livrou de um problema físico que já durava mais de 10 anos, a subluxação da articulação têmporo-mandibular direita. Adquiri essa subluxação durante um tratamento de canal. Gerou um incômodo bastante grande numa articulação que eu era obrigada a usar para me alimentar (não dava para evitar). E no dia da aula especifica, atendida por um colega, o Di Santana, me vi sarada do problema nessa articulação, sendo que todos os dentistas que consultei disseram que ia complicar com os anos e a única solução seria a cirúrgica.

Simone Caldeira, 50 anos, São Paulo

5.0
2015-12-03T15:24:00+00:00

Simone Caldeira, 50 anos, São Paulo

Meu primeiro contato com a craniossacral foi nos Estados Unidos em 2001. Fiquei muito impressionada com os efeitos em mim. Resolvi que quando pudesse faria o curso. Minha 2ª experiência … Continue lendo
Após uma conversa deito numa maca e fecho os olhos. Simone inicia seu trabalho corporal. Coloca a mão embaixo do meu corpo e vai acomodando puxa aqui e ali até ele ficar bem encaixado, acomodado, relaxado. Ainda com as mãos coloca embaixo de uma parte escolhida e fica um tempo assim. Começo a relaxar mais e mais. Com as mãos postas perto das orelhas, depois barriga, pés vou sentindo uma energia fluir dentro de mim. Relaxo mais e as vezes até durmo um pouco. Termina a sessão e acordo super bem disposta e energizada.

 Flavia, 52 anos, professora de música, pedagoga, São Paulo.

5.0
2015-12-07T18:01:24+00:00

 Flavia, 52 anos, professora de música, pedagoga, São Paulo.

Após uma conversa deito numa maca e fecho os olhos. Simone inicia seu trabalho corporal. Coloca a mão embaixo do meu corpo e vai acomodando puxa aqui e ali até … Continue lendo
As sessões de craniossacral que fiz até hoje - e foram muitas - me deram a certeza de que somos mais do que corpo e mente. É comum chegar para uma sessão cheia de confusões e problemas da vida moderna e sair com as coisas em perspectiva, que é como elas ficam depois que começamos a nos alinhar com um tipo de verdade que escapa do objetivo e entra no mundo das coisas subjetivas.
A experiência humana é sofrida e complicada para todos nós, mas quando somos capazes de ter uma visão mais ampla dela, e de nos sentir alinhados com conceitos maiores, ela fica menos tensa e mais agradável.
Os problemas não somem da noite para o dia, aliás não acho que devemos nos livrar deles porque eles nos fazem evoluir, mas a crânio-sacral ajuda a lidar com eles de forma mais amena e madura.
O que me encanta na craniossacral é que ela combina o entendimento de nossa jornada pessoal - e tudo o que passamos até esse momento em nossas vidas - com um alinhamento mais profundo que me parece ser entre alma e corpo, entre mente e consciência, entre carne e espírito. As sessões me colocam em contato mais íntimo com meu “eu superior”, e isso me deixa com a noção de que não estou sozinha, uma sensação sempre muito bem-vinda depois de cada sessão.
Num mundo corrido e superficial como o nosso, um no qual raramente temos a chance de parar e tentar entender quem somos, a craniossacral faz isso usando duas vias importantes: a das coisas que vemos e a das coisas que apenas intuímos e sentimos.

Milly Lacombe, jornalista

5.0
2015-12-07T18:03:34+00:00

Milly Lacombe, jornalista

As sessões de craniossacral que fiz até hoje – e foram muitas – me deram a certeza de que somos mais do que corpo e mente. É comum chegar para … Continue lendo
Me lembro que a experiência que tive com a Simone e a terapia craniossacral foi incrível, “transcendental” mesmo. Sentia um relaxamento profundo e me ajudou muito no processo de autoconhecimento porque possibilitava vários insights. Recomendo bastante!

Daniela Ktenas, artista plástica, 44 anos

5.0
2015-12-07T18:04:25+00:00

Daniela Ktenas, artista plástica, 44 anos

Me lembro que a experiência que tive com a Simone e a terapia craniossacral foi incrível, “transcendental” mesmo. Sentia um relaxamento profundo e me ajudou muito no processo de autoconhecimento … Continue lendo
5.0
5

Entre em contato

Telefone: (11) 99978-6245